Armazenagem Nível Fazenda: Vantagens e Diferenciais Competitivos

Publicado por

Nos últimos anos, o Brasil tem incrementando a capacidade de armazenamento a nível Fazenda e, assim, vários projetos estão surgindo nas principais regiões produtoras do país.

Os benefícios são inúmeros. Dentre eles, podemos citar:

– Comercialização em períodos mais adequados, fugindo das pressões de oferta

– Redução dos custos de transporte

– Maior produtividade na colheita, fugindo das filas nas unidades coletoras

– Melhor qualidade do grão armazenado (padronização)

– Utilização do resíduo da lavoura para alimentação animal (gado)

– Melhor gestão do estoque (contratos de venda)

– Cobrança de serviços para terceiros (padronização, pesagem avulsa)

Mesmo com o avanço da capacidade de armazenamento estática no campo, o país ainda está muito aquém dos seus pares de produção.

Segundo dados da Conab, enquanto o Brasil possui 15% de capacidade estática em nível fazenda, USA e Argentina possuem 65% e 40%, respectivamente. Estes dados nos mostram que temos um longo caminho a percorrer, com muitas oportunidades para o setor.

Além dos benefícios citados acima, armazenar a produção na fazenda pode propiciar ao produtor algumas informações relevantes, do ponto de vista quantitativo e qualitativo. Um exemplo disso é a possibilidade de analisar a variabilidade de produtividade de um Talhão (mapa de produtividade). Uma propriedade rural é composta por talhões (glebas). A cada safra, temos informações relevantes sobre a quantidade e qualidade de grãos produzidas naquele espaço de terra.

Para estruturar os dados e obter as informações, precisamos:

  1. Em primeiro lugar, cadastrar todos os talhões no ERP (sistema) ou planilha.
  2. O motorista do caminhão, ao acessar a balança, deve indicar para o balanceiro qual talhão de origem. Sabendo desta informação, o estoquista fará o apontamento, no software ou planilha, segregando aquela viagem para o talhão devido.

Desta forma, ao finalizar todo processo de colheita será possível avaliar:

– Produtividade bruta do talhão (quantidade produzida/área)

– Produtividade líquida do talhão (quantidade produzida após descontos/área)

– Produtividade da variedade da semente utilizada no talhão

– Média ponderada de impureza/avariado do talhão

– Média ponderada de umidade do talhão


Exemplo de um Relatório de Produtividade por Gleba (talhão) no Software SIACON WMS:

Estas informações estruturadas por safra, aliadas aos apontamentos corretos, podem auxiliar o produtor na correta interpretação, não apenas se está produzindo mais ou menos no local, mas no porquê dessa variabilidade. Na figura abaixo (LOTZ, 1977), alguns motivos são apontados para explicar a variabilidade de produtividade de um talhão.

De posse do volume e das possíveis causas da variabilidade, o consultor agronômico poderá auxiliar o produtor na correta tomada de decisão, a fim de buscar os melhores resultados.  

Armazenar na propriedade é um grande diferencial competitivo, gerir esses estoques de maneira inteligente e cruzar informações com o histórico do talhão dá ao produtor um visão mais estruturada, objetivando a busca da rentabilidade esperada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s